Notícias

No quadro do cumprimento da sua missão de apoio à participação das mulheres na política e nas esferas de tomada de decisão, o Programa de ONU Mulheres na Guiné-Bissau em parceria com o UNIOGBIS, vai promover entre os dias 11 e 12 de Julho de 2019, um ateliê nacional de discussão e reflexão sobre a implementação da lei de paridade nas últimas eleições legislativas, lições apreendidas e os principais desafios para um processo eleitoral inclusivo e democrático.

O Fundo das Nações Unidas para a População, UNFPA, em parceria com o Governo da Guiné-Bissau e a Fundação Ana Pereira celebraram hoje, em Bissau, o Dia Mundial da População, sob o lema “25 anos da CIPD: Acelerar as promessas”.

No dia 9 de julho, a Seção de Direitos Humanos/UNIOGBIS, em parceria com a Rede de Defensores/as de Direitos Humanos, prestou apoio técnico às organizações da sociedade civil para a realização do Ateliê de Validação do Relatório da Sociedade Civil para o 3° Ciclo do Exame Periódico Universal sobre a Guiné-Bissau.

De 08 à 09 de julho a Unidade de Gênero do UNIOGBIS em conjunto com a Rede de Mulheres Mediadoras (REMUME) da Guiné-Bissau, deu continuidade a uma série de cursos de mediação e diálogo para resoluções de conflitos a nível comunitário.

No dia 24 de maio, o grupo de cinco parceiros internacionais da Guiné-Bissau - a União Africana, a CPLP, a CEDEAO, a União Européia e as Nações Unidas - divulgou um comunicado expressando preocupação com o novo impasse político e apelam à “urgente” nomeação de um novo primeiro ministro e governo respeitando a “vontade soberana do povo da Guiné-Bissau” expressa nas eleições legislativas de 10 de Março.

No comunicado final da sua 34ª reunião anual, que este ano teve lugar em Bissau, os Chefes de Missão de paz da ONU na Africa Ocidental instaram todos os partidos políticos representados na Assembleia Nacional Popular (ANP) da Guiné-Bissau “a trabalharem juntos de maneira construtiva para permitir que aquele órgão legislativo a centrar-se nas prioridades pós-eleitorais.

Páginas